CURSO DE VERÃO

XVII Curso de Verão
“Lugares e territórios: novas fronteiras, outros diálogos”

28 de junho a 1 de julho de 2017

Apresentação

O Centro de Estudos Ibéricos (CEI), enquanto plataforma de intercâmbio, debate e difusão de conhecimentos sobre os territórios e as culturas ibéricas, promoveu a XVII Edição do Curso de Verão, de 28 de junho a 1 de julho de 2017, subordinada ao título genérico “Lugares e territórios: novas fronteiras, outros diálogos”.

Além de prosseguir o diálogo e a cooperação, aquém e além-fronteiras, o CEI reforça, com esta iniciativa, os seus compromissos com os espaços de baixa densidade ao apostar nos seguintes objetivo:
(i) identificar e valorizar os recursos do território, naturais e humanos, materiais e intangíveis, enquanto fatores críticos e estratégicos do desenvolvimento (paisagem, património, cultura, etc.);
(ii) analisar comparativamente dinâmicas económicas e sociais em diferentes contextos espaciais procurando identificar programas e iniciativas orientadas para promover a coesão territorial;
(iii) incentivar o diálogo entre saberes e investigadores visando alargar redes e consolidar parcerias com entidades do espaço ibérico, tanto europeu e africano como latino-americano, designadamente as de países de língua portuguesa, afirmando o CEI como centro de transferência de conhecimento;
(iv) valorizar o trabalho de campo como estratégia pedagógica, de promoção do património natural e cultural e de espaço de diálogo para comparar a raia portuguesa com outras geografias e contextos regionais.
Tendo presente que a Organização das Nações Unidas (ONU) declarou 2017 como o Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento, o Curso irá discutir os seguintes gerais:
I. Paisagens, patrimónios, turismo: recursos do território e sustentabilidade;
II. Dinâmicas socioeconómicas em diferentes contextos territoriais;
III. Cooperação e desenvolvimento: novas fronteiras, outros diálogos.

Trabalho de Campo:
O Curso integra duas visitas de estudo, a realizar na área da Serra de França (Espanha) e da Serra da Estrela (Portugal), onde serão apresentados e debatidos temas relacionados com as diferentes formas que as paisagens e os patrimónios assumem na área fronteiriça entre Portugal e Espanha

Coordenação:
Rui Jacinto, Valentín Cabero Diéguez, Ignacio Izquierdo e María Isabel Martín Jiménez

Creditação:
O Curso de Verão será creditado pela Universidade de Salamanca, através do Centro de Formácion Pernanente, com 3 créditos.

Universidades Participantes:
Universidade de Coimbra (UC); Universidade de Salamanca (USAL); Instituto Politécnico da Guarda (IPG); Universidade de Aveiro (UA); Universidade do Minho (UM); Universidad de Murcia; Universidade Federal de São Carlos (UFSCar); Univ. Estadual de Santa Cruz (UESC) - Ilhéus-BA; Universidade Federal de Uberlândia; UNESP – Campus de Presidente Prudente; Universidade Federal de Rondônia; Instituto Politécnico de Portalegre;

Programa

28 de Junho
9.30 horas - Abertura do Curso

  1. Cooperação e desenvolvimento: novas fronteiras, outros diálogos

Moderação e Apresentação: Valentín Cabero Diéguez (Univ. de Salamanca); António Pedro Pita (Univ.de Coimbra)
10.00 horas – Conferência: Nuevos diálogos y cooperación desde la Universidad - Enrique Cavero Morán - Vicerrector de Promoción y Coordinación (Univ. de Salamanca)
10.45 horas - Mesa Redonda
. Memória e patrimonialização do rei bamba na Península Ibérica: as raízes, os tempos e as matérias - Pedro Miguel Neto dos Santos Forte Salvado
. De floresta a fábrica, de fazenda a floresta: paisagem cultural e desafios à preservação da memória no interior do Brasil - Rita de Cássia Lana
. A flauta de tamborileiro na raia portuguesa: o recurso civilizacional como meio e estratégia de desenvolvimento social e cultural - Rosário Santana; Helena Santana
. O património popular como potencial recurso turístico - Jorge Morais Torres
. Os descaminhos de um território: a crise cacaueira e os nós discursivos nas tramas do poder local - Maria Cristina Rangel

14.30 horas - Comunicações (Sessões paralelas)

  1. Paisagens e patrimónios: recursos do território e sustentabilidade

. Os riscos para o Concelho da Guarda: uma apreciação por inquéritos aos stakeholders - Bruno Zucherato
. Cartografia e diagnóstico socio ambiental aplicados ao ordenamento territorial da microrregião do Gurupi, MA - Taíssa Caroline Silva Rodrigues
. Canais de regadio e regos d’água: lições portuguesas para uma nova abordagem brasileira - Renato Emanuel Silva; Sílvio Carlos Rodrigues; Antônio Avelino Batista Vieira
. Usos da terra na Bacia Hidrográfica do Rio Pericumã - BHRP: notas sobre a exploração do território - Josué Carvalho Viegas            
. Filiação ao território em lugares projetados fora da comunidade Quinze anos da (nova) aldeia da Luz - Ana Maria Cortez Vaz; João Luís J. Fernandes

III. Dinâmicas socioeconómicas em diferentes contextos territoriais

. Uma análise da Assessoria Técnica no Território Rural Campos e Lagos – Maranhão - Samuel de Jesus Oliveira Maciel; Jose Sampaio de Mattos Junior
. Capital financeiro e uso agrícola do território brasileiro: a atuação no mercado de terras do fundo TIAA-CREF através da Radar S.A. - Bruna Henrique Albuquerque
. Valor de uma Marca: Vaca Jarmelista - Agostinho da Silva
. Levantamento bibliográfico sobre a fome em Paris entre 2000 e 2017 - Maria Leidiana Mendes de Oliveira
. A cartografia das diferenças socioeconómicas a partir da visão multiescalar urbana - Estêvão Moraes Lelo

  1. Cooperação e desenvolvimento: novas fronteiras, outros diálogos

. A Fundação do Mosteiro de Santa Clara-a-Nova de Coimbra. Propagandística política, tratadística arquitetónica e engenharia militar entre a Dinastia Filipina e a Dinastia de Bragança - Pedro Manuel Pereira da Silva Tavares       
. Perfil dos alunos do 3º ciclo do ensino básico que frequentam as escolas públicas do Distrito da Guarda - Fernando Manuel Videira dos Santos    
. A gestão da escola na promoção da Interculturalidade - Pedro Tavares, Darlinda Moreira
. Quali(ficar) o caminho - Tiago Fernandes Teotónio Pereira
. Quatro cartas de Hermès - Willian Antunes          
. A arte como veículo de sustentabilidade - Maria da Conceição Torres Cordeiro

17.15 horas Conferência: Las reservas de la Biosfera. El ejemplo de la montaña cantábrica. Alipio García de Celis (Profesor de Geografía Univ. de Valladolid)

29 de Junho
Trabalho de campo. Turismo inclusivo e património
Rota Ibérica: I. Guarda – Serra da França y Béjar – Guarda.

30 de Junho

V. Paisagens, patrimónios, turismo: recursos do território e sustentabilidade
Moderação e Apresentação: Lúcio Cunha (Univ. de Coimbra); M. Isabel Martín Jiménez (Univ. de Salamanca)

9.15 horasMesa Redonda

. La memoria del paisaje. Marcas, hitos, mojones y cruceros en el paisaje simbólico de la región Duero-Douro - Pedro Javier Cruz Sánchez
. Paisagem Urbana Histórica, A Lusa Atenas como matriz cultural de Coimbra - Joana Capela de Campos; Vítor Murtinho
. A paisagem, uma ferramenta de análise das mudanças sócio ambientais no eixo da BR-163: de Cuiabá/MT a Santarém/PA - Messias Modesto dos Passos
. Natureza e patrimônio de valor turístico do território de Icatu, Estado do Maranhão: possibilidades de uso ambiental sustentável - Antonio Cordeiro Feitosa

11.00 horasVI. Turismo Sustentável para o Desenvolvimento

Oficina I
. Singularidades no Litoral Sul de Sergipe/BrA e Litoral do Algarve/Pt: turismo, cultura e políticas públicas - Lillian Maria de Mesquita Alexandre
. Amazónia Atlântica: património natural versus turismo balnear - Adrielson Furtado Almeida
. Redes de serviços turísticos: o perfil dos investidores do turismo em Canoa Quebrada (Ceará-Brasil) - Conceição Malveira Diógenes

Oficina II
. Alcalá e Coimbra, a hegemonia ibérica na Lista do Património Mundial - Joana Capela de Campos; Vítor Murtinho
. Itinerários literários: Leituras e leitores de Camilo Castelo Branco, em particular, Agustina Bessa-Luís - Daniela Maria Vaz Daniel

VII. Dinâmicas socioeconómicas em diferentes contextos territoriais
Moderação e Apresentação: Rui Jacinto (Univ. Coimbra); José Ignacio Izquierdo (Univ. Salamanca)

14.30 horas – Conferência: O património como indutor do turismo criativoPaulo Peixoto (Univ. de Coimbra)

15.30 horas – Mesa Redonda

. Dinâmicas Macroeconómicas numa Cidade Nova - Ana Filipa de Brito Soares Costa Oliveira
. O Complexo Madeira e o “Desenvolvimento Regional”: Um paradoxo no seio da Amazônia Brasileira - Juci Theodoro; Maria Luzia Ferreira Santos; Lúcio Cunha
. Contradições e possibilidades em um mar de conflitos de terras no Maranhão - José Sampaio de Mattos Junior; Ronaldo Sodré

17.00 horas –  Encerramento

17. 30 - Lançamento do livro “Outras Fronteiras, Novas Geografias: Intercâmbios e Diálogos Territoriais” – volume nº 32 da Coleção Iberografias

1 de Julho
Trabalho de campo. Paisagens e territórios de montanha
Rota Ibérica: II. Guarda – Gouveia – Serra da Serra da Estrela – Covilhã - Guarda

8h00 - Partida: Guarda – Centro de Estudos Ibéricos
Guarda – Melo – Folgosinho -  Sabugueiro (Aldeia de Montanha; a pastorícia e o queijo da serra) - Serra da Estrela. Aspiring Geopark:  Percurso Interpretativo
 - Miradouro do Vale Glaciário do Zêzere (Testemunhos glaciários:   Moreia Frontal do Zêzere (Manteigas); Covão da Ametade; ...)
 -  Nave de Santo António, Covão do Ferro e Vale Glaciário de Alforfa
 - Covão do Boi
 – Torre
- Varanda dos Carquejais – Covilhã.